• Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • 86 3194-1700

Facebook

Quando você escreve, seus colegas acham que a sua letra é algum novo tipo de código indecifrável? Pois é, isso pode prejudicar a sua nota nos exames. Conheça algumas formas de melhorá-la:

1. Selecione sua ferramenta e adeque o espaço
Vale a pena experimentar diferentes tipos de canetas para descobrir a que produz o melhor resultado para a sua letra (não é apenas a que você mais gosta, ok?). Algumas deslizam mais facilmente, produzem registro mais fino ou mais espesso, têm pegada melhor ou pior etc. Se no seu caso o melhor é lápis, vá de lápis mesmo: aprimore a caligrafia antes, volte para a caneta depois. O local em que vai escrever é muito importante: precisa ter espaço adequado para apoiar os braços, e também para o papel: tendo acertado a posição do braço e da mão, o melhor não é descer a mão para cada linha abaixo, porque você entorta o punho: é melhor deslizar a folha para cima!

2. Escreva no ar, na vertical
Isso mesmo: vamos escrever no ar. Ao substituir o suporte horizontal – a mesa – pelo vertical, esse exercício ataca de frente três aspectos importantes:
– Ensina você a perceber que a mão não escreve sozinha: o ombro e o braço conduzem a mão em cada movimento! São os movimentos que você precisa aperfeiçoar para melhorar sua caligrafia;
– Solta a sua letra quando ela é amarrada, presa, principalmente para quem segura a caneta com muita força;
– Ajuda você a identificar problemas nas “laçadas” (as passagens de uma letra para a letra seguinte).
Preferencialmente em pé, com o braço de escrita levemente flexionado, escreva no ar palavras e frases com letras bem grandes. Ao fazer isso, observe o movimento de seu ombro e do braço. A intenção é que você perceba e incorpore a existência deles no ato de escrever, e diminua a pressão que faz mentalmente, e fisicamente, sobre a sua mão. Fique atento especialmente às junções das letras (as laçadas) ou em letras que você considera feias ou não muito bonitas. Tente mudar a forma de escrever suas “letras-problema” e suas laçadas imperfeitas.

3. Aperfeiçoe
Nas práticas seguintes, vá diminuindo o tamanho das letras que você escreve no ar, observando os mesmos aspectos. Se preferir, escreva em uma lousa, seguindo as mesmas diretrizes.